Diabetes em animais

line break Nutrivet



Diabetes em animais




A diabetes é bem frequente em humanos. Mas você sabia que animais, tanto pequeno quanto de grande porte, também podem desenvolver a doença? E se não tratada pode prejudicar e muito a qualidade de vida do animal?

A diabetes é uma deficiência hormonal que reduz a capacidade do sangue de metabolizar o açúcar. Os sintomas são bem parecidos com os de humanos, como perda de peso, maior ingestão de água e aumento da quantidade de urina.

A diabetes tipo I é mais comum em cães maduros, ou idosos, no qual o uso da insulina tende a fazer parte do tratamento (já que as células do pâncreas do animal não conseguem produzir adequadamente o hormônio). E se não tratada pode levar ao desenvolvimento de catarata e outras complicações.

Já em felinos, a diabetes tipo II é a mais recorrente. E está ligada ao aumento de peso e falta de exercícios físicos e mentais diários. Neste cenário, o aumento de peso causa alterações no controle da glicose sanguínea; favorecendo, assim, o desenvolvimento da diabetes. Se não tratada, o felino pode ter lesões nos nervos, que são doloridas e causa dificuldade ao andar.

Em grandes animais, como cavalos, embora seja mais raro também pode ser adquirida. Em cavalos, a doença se desenvolve principalmente por hiperfunção adrenal na síndrome de Cushing. Esse distúrbio aumenta a resistência à insulina, favorecendo o aparecimento da doença. Excesso de peso, má alimentação e mau funcionamento do pâncreas também levam ao diabetes.

Prevenção

Exercícios mentais e físicos, como brincadeiras e desafios são extremamente importantes para o bem-estar e saúde animal. Já que aumenta o gasto calórico e diminui o peso do animal. Alimentação adequada, pobre em carboidratos simples e açúcar são importantíssimos também.

Enriqueça o ambiente que seu animal vive, por meio de desafios que os façam se movimentar e trabalharem o cérebro. Exemplo: faça-os a trabalharem o olfato escondendo petiscos pela casa; dê o alimento de um jeito diferente, como em brinquedos que os façam a descobrir como comer, entre outras brincadeiras.

Como saber se seu animal está com diabete?

Observando o comportamento. Se ele estiver com algum sintoma listado acima, leve-o imediatamente ao médico veterinário. Também é recomendado realizar exames laboratoriais de rotina, como exames de sangue e de urina. Avaliações periódicas são imprescindíveis na vida dos animais, assim como são importantes nas nossas vidas também.

Tratamento

O tratamento inclui uma ótima e adequada alimentação, de acordo com a necessidade nutricional de cada animal; avaliação da necessidade do uso da insulina; monitoramento do controle do açúcar no sangue e da saúde em geral. Não esquecer também dos exercícios diários e tratamento para perda de peso, em caso de obesidade ou excesso de gordura.




Comentários


Os comentários estão desativados.